20 junho, 2011

Trabalhando Fábulas - 5° ano

Professor(a),
Na fábula há, predominantemente, sequências
narrativas. Essas sequências são marcadas pela temporalidade.

A progressão temporal é essencial para o desenrolar da trama,
pois o fato e a ação - que envolvem personagens – direcionam-se
para um conflito.

Identifique com os alunos as marcas de tempo que
conduzem a narrativa, bem como os tempos verbais.

Tradicionalmente, a temporalidade é linear e o
conflito vai se constituindo, num crescendo, até o seu desfecho.
Isso pode ser observado na fábula em questão. Converse com
seus alunos sobre essa sequência temporal: há uma ordem
necessária para os acontecimentos? Que tal recortar o texto em
tiras e pedir que os alunos encontrem a sequência ideal? Há
outras possibilidades de arrumação diferentes da original? Por
que não escrever uma “fábula maluca”, alterando a sequência
lógica do texto?

Também é importante conversar com os alunos
sobre o narrador. Quem conta a história organiza os fatos no
tempo e no espaço. Esse narrador participa da história? Ou ele
está, apenas, observando os fatos e contando? Mostre a
diferença entre o narrador em primeira pessoa (texto 2) e o em
terceira pessoa (texto 1).

Algumas outras perguntas são fundamentais:
Quem est
Narradorço, tempo, modoção.
Onde?
Quando?
Como?
 Espa
Com quem?
 Personagem
O que aconteceu?
Acontecimento, fato, situa
Leve para a sala de aula vários textos com sequências
narrativas: contos de fadas, notícias de jornal, letras de músicas e
explore bem essa estrutura. Você pode, inclusive, levar textos de
gêneros diferentes , mas que possuam sequências narrativas – por
exemplo a música
tecelã
Outro ponto interessante é trabalhar as opiniões nos textos,
ficcionais ou não. No texto 1, há opiniões expressas pelas
personagens, como indica a primeira questão feita para o aluno; no
texto 2, encontramos opiniões da autora Roseana Murray. Trabalhe
com seus alunos a diferença entre fato e opinião, utilizando os dois
textos dessa ficha para isso.
Peça que retirem do texto trechos que
relatam fatos e trechos que expressam opiniões. Distinguir fato de
opinião é uma grande dificuldade apresentada pelos alunos.

No caderno de atividades 2, ficha 1 do oitavo ano, a tirinha
abaixo abre o trabalho com textos de opinião. Lá, há algumas
sugestões. Embora nas orientações curriculares, esse gênero não
esteja direcionado para o sexto ano, você já pode iniciar o trabalho com
o texto de opinião.
Eduardo e Mônica (Renato Russo) e o conto A moça(Marina Colasanti).
á contando?

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Postar um comentário